Arquivo da categoria: Ser

Existencial

#DiaDaPoesia “As vezes fico perdida há tanto para viver que me pego em devaneios sonhando sem perceber desejando experiências além das minhas ciências buscando o Conhecer – e eu fiz por merecer esta vida que eu tenho acredito que meus … Continuar lendo

Publicado em Do que me despe, Poemeu - Cordel, Ser | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Cordel da Inspiração Cigana

  Hoje, 20 de Março, é o Dia Internacional dos Contadores de Histórias. Este ano a data coincide com o equinócio, um eclipse e a super lua! Haja energia! Para comemorar, lanço aqui um cordel que é muito especial pra … Continuar lendo

Publicado em Do que me despe, Poemeu - Cordel, Ser | Marcado com , , , , , , , , , | 3 Comentários

Vez por outra sou dada à síntese – poemínimos

Vim do Cordel. Comecei assim. 30 estrofes ou mais. Uma arte de contar história em verso rimado e metrificado, ritmado, cantado mesmo. Mas aí me vi dizendo tudo o que queria com uma estrofinha de nada. Tudo. Poemínimos, poemetos, curtos, … Continuar lendo

Publicado em Poemeu - Verso livre, Ser | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Deus abençoe esse rabo. Com essas palavras. Exatamente essas, sem tirar nem por. Era desconcertante. Era como se ter um rabo roubasse a minha dignidade Deus abençoe, ele disse. Ou melhor, escreveu. Melhor seria se houvesse dito, proferido, mas escreveu. … Continuar lendo

Publicado em Poemeu - Verso livre, Ser | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Do medo

Não há realmente o que temer. O medo é máscara, é venda. Inibe os sentidos e exaspera os sentimentos. A morte é invenção, pois não há nada de fato que passe, de uma hora para outra, à completa inexistência. Não … Continuar lendo

Publicado em Ser | Deixe um comentário

Coração Pernambucano!

Não há nada que me deixe mais feliz na vida que plantar sementes. Em Abril deste ano estive na Escola Municpal Oswaldo Lima Filho, participando do V Concerto de Leitura. Fiz uma “vivência de cordel” com os alunos do 5° … Continuar lendo

Publicado em Poemeu - Cordel, Ser | Marcado com , | Deixe um comentário

Dolorido.

Evangelho de João (Maria, José, Ana, Francisco…)   Aquele que nunca sofreu que ature a primeira perda.

Publicado em Poemeu - Verso livre, Ser | Marcado com , , , | Deixe um comentário