Um Cordel para Bárbara

Recebi um convite lindo: produzir um Cordel narrando brevemente a trajetória de Bárbara de Alencar, Pernambucana, Heroína da Revolução de 1817, avó do escritor José de Alencar. Haja responsa! Este Cordel segue estampado na agenda de 2017, produzida pela Secretaria da Mulher do Recife, lançada no mês de Março. Na capa, Bárbara ilustrada pela maravilhosa Dani Acioli!Foi uma alegria fazer parte dessa bela homenagem! Salve Bárbara de Alencar e todas as nossa heroínas, subestimadas pela história!

#SomosTodasBárbaras

Um Cordel para Bárbara

Por Mariane Bigio

A verve da poesia
Agora quero evocar
Uma mulher de verdade
Hoje é quem vai me inspirar
Uma Heroína real
Lutadora sem igual
Que foi Bárbara de Alencar

Eu quero homenagear
A Bárbara não só na alcunha
Enfrentou a Tirania
E à Monarquia se opunha
Articulou alianças
Foi potente liderança
E à tudo se predispunha

Mas lhe faltou testemunha
E espaço na nossa História
Pois foi mulher de vanguarda
De atitude mui notória
Matriarca Sertaneja
Que viveu sua peleja
Memorável trajetória

Não viveu pra ver a Glória
Do Brasil ser libertado
Do Rei Luso-brasileiro
Mas ficou o seu legado:
Ideais Republicanos
Algo que após tantos anos
Ainda é tão almejado!

Pernambuco é seu estado
Foi aqui que ela nasceu
Lá na cidade de Exu
E um conterrâneo seu
O famoso Gonzagão
A lembrou numa canção
E à memória embeveceu

Lá no Ceará viveu
Esta matrona aguerrida
E levou de Pernambuco
A voz da gente insurgida
Durante a Revolução*
E foi parar na prisão
Numa ocorrência sofrida

Liberdade reprimida
Bárbara então foi condenada
Primeira Presa Política
Cruelmente injustiçada
Mas nunca desanimou
Logo à luta retornou
Bravura a ser copiada!

A guerreira obstinada
Chamou de novo a atenção
Ladeada por seus filhos
Na tal Confederação
Do Equador, mui resistente
A alma da combatente
Sofreu vil mutilação...

Já não foi a reclusão
O mal que se sucedeu
Muitos parentes mortos
Para desespero seu
Um dos filhos em combate
Se livrou do disparate
Ao menos sobreviveu

E destaque recebeu
O José Martiniano
Entrou na vida política
Bárbara em segundo plano
Não foi bem reconhecida
Uma valente escondida
Vítima do mais puro engano

Sua vida agora ufano
Lembro seu neto escritor
Que foi José de Alencar
Com merecido louvor
Por sua literatura
Mas Bárbara não é figura
De papel inferior

Este Cordel com fervor
Quis somente destacar
As proezas da mulher
Que foi Bárbara de Alencar
Saudando outras Heroínas
Expoentes Femininas
Exemplo a nos inspirar!

Unidas vamos gritar
E bradar por igualdade
Na batalha por direitos
Na luta por liberdade
Tal qual a Bárbara de outrora
Sejamos bárbaras agora
Com garra e voracidade!

*Bárbara leva o movimento engendrado na Revolução de 1817 de 
Pernambuco para o Ceará. 
Anúncios

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Cordel por encomenda, Poemeu - Cordel e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Um Cordel para Bárbara

  1. Franci Palhano disse:

    Parabéns, Mari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s