Existencial

#DiaDaPoesia

“As vezes fico perdida

há tanto para viver

que me pego em devaneios

sonhando sem perceber

desejando experiências

além das minhas ciências

buscando o Conhecer

e eu fiz por merecer

esta vida que eu tenho

acredito que meus ganhos

são frutos do meu empenho

nego a fé cega do povo

quem resiste frente ao novo

já não compro nem desdenho

é por demais valiosa

a vida, para ser gasta

com as orações hipócritas

vindas da mente nefasta

de quem só pensa na morte

ou de quem se atém à sorte

a inércia que devasta

e tem gente que se arrasta

sem viver e sem sentir

tem gente que não entende

a lógica do fluir

somos todos natureza

eis aqui toda a pureza

desse nosso existir

não tenho medo de ouvir

ou pensar o perecer

há tanta vida no meio

entre nascer e morrer

somos do todo uma parte

viver é portanto a arte

inevitável de Ser.”
Mariane Bigio

Anúncios

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Do que me despe, Poemeu - Cordel, Ser e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s