A História do Quebra Nozes em Cordel

Fiz esse texto para o espetáculo criado especialmente para o Clubinho de Natal do Shopping Recife (produção Libre Promo), mas ele ganhou asas e até fizemos mais apresentações do que esperávamos com ele! Todo em Cordel, a história reconta o clássico enredo do balé de Tchaikovsky que por sua vez baseia-se na versão de Alexandre Dumas (pai) de um conto infantil de E. T. A. Hoffmann. A Intertextualidade, ou seja, rescrever histórias famosas em formato rimado e metrificado é uma característica própria da Literatura Popular Nordestina, mais especificamente do Cordel. Ao final da encenação da história, um pas de deus de Clara e o Quebra Nozes, personagens que protagonizam a História, incorporados por Balarinas da Academia Fátima Freitas, surgiam transformando o sonho em realidade. Foi muito bonito! (Fotos por Janela Fotografia)

Numa noite estrelada

Dessas de luz muito rara

Uma menina brincava

Como nunca antes brincara

O clima era especial

Era noite de Natal

E ela se chamava Clara

*

Clara então aguardava

A chegada do padrinho

Homem muito diferente

Alto, sério e bem magrinho

Veio parecendo um Mago:

“Cheguei, nesta noite trago

Meu mui querido sobrinho”

*

“Que rapaz tão bonitinho”

Pensou Clara, só pra ela

E o sobrinho do Mago

Também achou Clara bela

“Padrinho trouxe um presente!”

Clara recebeu contente

Abriu sem fazer novela!

*

Dentro estava um Quebra-Nozes!

Um boneco tão bonito!

Parecia mais um príncipe!

“Que boneco esquisito!”

O irmão de Clara gritou

e num instante o tomou

e começou o conflito

*

O menino foi correndo

o boneco ele jogava

“Me devolva meu boneco!”

Ela pedia, implorava!

O boneco escorregou

Caiu no chão e quebrou

Clara nem acreditava!

*

“Não precisa choradeira…”

consolou-lhe o padrinho

E foi longo consertando

O pobre do bonequinho

A festa então terminou

E assim cada um tomou

Um diferente caminho

*

Como ‘ inda não tinha sono

Clara ali permaneceu

Junto da grande árvore

A menina adormeceu

E começou a magia

Enquanto a casa dormia

Ouça o que ali sucedeu…

*

Clara despertou mais tarde

quando algo acontecia…

Os brinquedos das crianças

Tudo em volta se mexia

Os carrinhos, as bonecos

Bolas, pião, cacarecos

Todos faziam folia!

*

Nesse meio lá estava

Seu Quebra-Nozes querido!

Ele veio até ela

Com semblante enternecido

Deu um beijo em sua testa

Clara com a alma em festa

Fez um gesto agradecido

*

Mas aí aconteceu

Uma coisa horrorosa!

De todo canto surgiram

Ratazanas asquerosas

E à frente o Rei dos Ratos

Bem maior que muitos gatos!

Que figura tenebrosa!

*

Aquele bicho malvado

Veio em sua direção

Quebra-Nozes defendeu

Começou a confusão

A Batalha foi terrível

No momento mais horrível

Os dois caíram no chão!

*

O Rei do Ratos foi

Pelo bando socorrido

Clara correu para ver

O seu amigo caído

E sem ter como ajudar

Ela então pôs-se a chorar

Pois ele tinha morrido!

*

O choro da menininha

Era um choro diferente

Fez o boneco viver

E se transformar em gente!

Era o rapaz mais bonito

Que a menina tinha visto

Isso é que era presente!

*

O boneco transformado

Parecia o rapazinho

Que a Clara conheceu

O sobrinho do padrinho

Começaram a dançar

E logo foram parar

Em outro mundo vizinho

*

Era um Reino Encantado!

Cheio de coisa encantada!

Lá foram bem recebidos

Pela Fada Açucarada!

e seus súditos docinhos

que dançavam bonitinhos

saudando a sua chegada!

*

Também Madame Bom-Bom

Com sua chocolatisse

“Bem-vindos, sejam bem-vindos!”

Foi bem assim que ela disse!

E foi tão grande a festança

Cheia de musica e dança

Pra que o casal aplaudisse!

*

Apesar da diversão

Era hora de partir

A menina e o príncipe

Pra poder se despedir

Recomeçaram dançar

Tudo voltou pro lugar

E a menina a dormir

*

Acordou daquele sonho

Ao boneco abraçada

Olhou com alegria

Para árvore enfeitada

Pensou que aquela magia

Para sempre ficaria

Em sua mente guardada

*

Uma noite inesquecível

Que aconteceu de verdade

Repleta de fantasia

Cheia de felicidade

Se a gente imaginar

Tudo que a gente sonhar

Se torna realidade!

*

E se a gente desejar

Já que estamos no Natal

Que a Clara e seu príncipe

Se tornem algo real?

E se eles virassem gente

E surgissem de repente

Não seria bem legal?

*

Então vamos desejar

E o coração abrir:

“Por favor Clara, apareça

nós queremos te pedir

Traga o seu Quebra-Nozes!

Ouçam juntos nossas vozes

E venham dançar aqui!”

Anúncios

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s