Vez por outra sou dada à síntese – poemínimos

livro mínimo

Vim do Cordel. Comecei assim. 30 estrofes ou mais. Uma arte de contar história em verso rimado e metrificado, ritmado, cantado mesmo. Mas aí me vi dizendo tudo o que queria com uma estrofinha de nada. Tudo. Poemínimos, poemetos, curtos, de longo alcance, calibre fatal. O ano começou e já soltei alguns por aí. Achei por bem reuni-los, pra ver se juntos dão dez linhas ou mais. Nem sei.

 

Do amor

 

É tão simples:

história é trama

feita de nós.

*

À Moda Antiga

 

Entreguei meu corpo à palavra.

Fui forçada a me casar com ela

no papel.

*

Consideração I – Vestígios

 

O vestígio é cruel e maligno.

É permanecer depois da partida.

Estar, mesmo ausente.

É a ponta da tinta velha que aparece na parede pintada de nova.

É o mata-leão na derradeira tentativa de recomeçar.

 

Se tiver que ir, vá.

Sem vestígio algum.

*

Consideração II – Vestígios

 

Não fossem os vestígios não haveria história alguma.

Ái do perdão se não houvesse a mágoa.

 

Se tiver que ir, vá.

Eu me perdôo.

Anúncios

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Poemeu - Verso livre, Ser e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s