SAÍ A CAMINHAR PELAS CALLES…


que aqui se chamam ruas
e vi um mendigo velho
que lavava os cabelos
num charco de água suja.

A noite calorosa
suspensa nos meus ombros
esmagou os meus ossos,
e esse charco sobre o cimento
me lembrou o companheiro
que lutou contra isso
e agora está morto.

Saí a caminhar pelas calles
que se chamam ruas
e voltei comovido
com o coração oprimido
e os bolsos sem luas.

Hector Pellizzi, 1953, Buenos Aires/ Argentina

(Lembrou-me os buenos dias que passei em terras porteñas e o choque de realide que levei quando voltei. O pior de tudo é saber que Nanda não foi a única, pior ainda, não terá sido a última)

Anúncios

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Do que me despe e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s