Versos Pequeninos

“Cada momento da infância
tem particularidades
centenas de descobertas
rotina de novidades
há muito potencial
nessa fase especial
dos dois aninhos de idade!

muita curiosidade
são mesmo pesquisadoras!
aprendendo a se expressar
de maneira encantadora
quando não compreendidas
fazem birra, tão sabidas!
são natas exploradoras!

.
professores, professoras
lhes servem de referência
além dos familiares
com seu amor, paciência
e um carinho profundo
lhes apresentando o mundo
com bastante experiência!

em cada gesto: ciência
uma canção? muito ensina!
uma história que é narrada
vilões, heróis e heroínas
nos enredos encantados
São fontes de aprendizados
ao menino e à menina!”

(por Mariane Bigio)

Anúncios
Publicado em Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Vida de Criança – Cordel dos Primeiros Anos

IMG_6348

A gente nasce num dia
E toma um susto danado
Tudo quentinho, e escuro
Muito seguro e guardado
No ventre da nossa mãe
Cá fora é claro e gelado!

Um bebezinho, coitado
Cai de pronto em longo pranto
Respirar é dolorido
Deixar tão doce recanto
Não é à toa o esparro
Dado o tamanho do espanto

A mamãe dá acalanto
E os dias vão se passando
O bebezinho vê vultos
A todo se aproximando
Mas não distingue figuras
Os olhos arregalando

Escuta o papai falando
Reconhece aquele tom
Sente o cheiro da mamãe
Cheiro do leite que é bom
Quando a gente chora, mama
O adulto é nosso garçom!

Bochechas fazem fomfom
Somos quase irresistíveis!
Conquistamos as pessoas
Sorrisos são infalíveis
Começamos a brincar
Mais sons se tornam audíveis

Os meses são tão incríveis!
Vamos nos desenvolvendo
A cada dia que passa
Nosso corpo vai crescendo
Nossa mente e os sentidos
Novidades aprendendo!

Dentes vão aparecendo
Ereta fica a postura
A comida vai à boca
Um leque de gostosuras!
Os banhos são divertidos
Cada gente uma figura!

O mundo se transfigura
Se em pé nos equilibramos
Palavrinhas, balbucios
Quando nos comunicamos
Bater palmas, e dar tchau
É tão bom quando dançamos!

Então experimentamos
Os nossos primeiros passos!
Tudo ao redor se transforma
Modifica o nosso espaço
A rotina se adequando
Vai entrando no compasso

Os adultos têm cansaço
Pois em tudo veem perigo
Jamais ficamos sozinhos
Não entendemos castigo
São todas as atenções
Ao redor do nosso umbigo

Colo quentinho é abrigo
Se a gente estranha um alguém
Precisamos de um tempinho
Minutos, horas também
Pra poder acostumar
Para explorar mais além

Cada gesto se detém
Bem dentro da nossa mente!
Começamos a imitar
Tudo que fazem pra gente
O exemplo é importante
Aprendemos prontamente

A vida é mais reluzente
Quando surge a amizade
Quando com outras crianças
Nos sentimos à vontade
Permitindo a interação
Isso que é felicidade!

Não contei nem a metade
De tudo que a gente alcança
Nos nossos primeiros anos
Papais guardem na lembrança
Pra não perder as belezas
Dessa vida de criança!

por Mariane Bigio, Maio de 2019

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Um passeio em cordel pelos contos de fadas!

contos de fadas - por Jota Borges

Sempre com “Era uma Vez”
Assim começa uma história
Eis que surgem os heróis
Cheios de fama e de glória
Mocinhas aventureiras
Os vilões, as feiticeiras
Que habitam nossa memória

Rainhas bravas, notórias
Também Reis e os Cavaleiros
Castelos, bosques, florestas
Duendes, anões, forasteiros
Criaturas encantadas
Presentes nos Contos de Fadas
Inventados? Verdadeiros!

Esses contos, corriqueiros
Nos trazem ensinamentos
Utilizando a magia
Seu principal instrumento
Nos abrem o coração
E na imaginação
Semeiam encantamento!

Já estou que não me aguento
E começo a perguntar:
Como se chama a menina
que à vovó foi visitar
levando muitos docinhos?
Isso mesmo, a Chapéuzinho
No Bosque a cantarolar!

O vilão, o Lobo Mau
Aparece em outros contos
Como aquele dos irmãos
Um sabido, os outros tontos
E quem são os irmãozinhos?
Muito bem, os três porquinhos!
Que venceram o confronto

Um outro monstro feroz
a mocinha sequestrou
e a levou pro seu castelo
mas ela se rebelou
quem se lembra o nome dela?
pois ela se chama Bela!
Que à Fera transformou

E são tantas outras belas!
Me recordo com carinho
Aquela que à meia-noite
Esqueceu seu sapatinho
Qual é mesmo o nome dela?
Mas é claro! A Cinderela!
Que enfrentou os descaminhos

Uma outra, num espinho
O seu dedinho espetou
Caiu em um sono profundo
E somente despertou
Por seu amor socorrida
É a Bela Adormecida
Parabéns pra quem lembrou

E quem aqui mergulhou
Depois de brincar na areia
Com os peixinhos do mar
Viu a moça que passeia
Lá no fundo do oceano
Que princesa estou falando?
É a pequena sereia!

Uma moça muito doce
De alma pura e tão leve
Escondeu-se na floresta
Assim a história descreve
Sete astutos anõezinhos
Viraram seus amiguinhos
Quem é? A Branca de Neve!

Um homem que é feito de lata
Um leão não tão feroz
Um espantalho, digamos
Meio bobo, cá pra nós
com seus sapatos tinindo
Dorothy se viu partindo
Pro mundo mágico de Oz!

Além, muito além daqui
Distante léguas e milhas
Uma menininha esperta
Caminhou por outras trilhas
Eu digo, se ninguém disse
O seu nome é Alice!
No País das Maravilhas!

Os reinos são como ilhas
que flutuam n’outro mundo
as fadas, quando aparecem
interferem num segundo
revolucionando a senda
concedem graças ou prendas
seu mistério é tão profundo!

E se olharmos mais a fundo
As histórias nos remontam
a tempos desconhecidos
esses enredos apontam
à nossa herança ancestral
magia junto ao real
nesses contos que se contam!

 

 

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cordel de Ninar

Lua (Via Pinterest)

Chega a noite e as estrelas
Fazem festa lá no céu
O Sol já se foi faz tempo
Partiu lá pro Beleléu
Minha mãe vem a sorrir:
Já é hora de dormir
E eu apronto um escarcéu

Tal como se fosse um véu
O lençol cobre meu rosto
Ela ajeita o travesseiro
E o prepara como encosto
Sinto a raiva se extinguir
Já é hora de dormir
Mas dormir é meu desgosto!

“Eu não quero!”, isto posto
Ela vem me convencer
Que em breve um novo dia
Num instante irá nascer
Dormente mal vou sentir
Já é hora de dormir
Logo vai amanhecer

E para poder crescer
É preciso descansar
Combinamos num acordo:
Uma história pra embalar
Estou pronto para ouvir
Já é hora de dormir
Quando a história terminar

Uma canção de ninar!
Para prolongar eu peço
Mas não deve ser tão breve!
De ouvidos atentos: meço
Feche os olhos pra curtir
Já é hora de dormir
Depois dessa me despeço…

No refrão eu recomeço…
Quero bis pra não ter fim
Digo que há um monstro enorme
Morando embaixo de mim
Querendo me destruir
Já é hora de dormir
Minha mãe diz mesmo assim

E o pó de pirlimpimpim?
E a varinha de condão?
Vou fazendo mil perguntas
Sem nenhuma conclusão
Bocejei sem nem sentir
Já é hora de dormir
Já chega de distração

E o sono sem permissão
Deixa meus olhos pesados
As vozes ficam distantes
O corpo bem relaxado
Impossível resistir
Já é hora de dormir
Ouço já desacordado

O sonho é meu convidado
Como um filme, especial
O cinema é minha mente
A viagem é total
No trem que já vai partir
Já é hora de dormir…
E assim finda o ritual.

Por Mariane Bigio

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cordel do ABC !!!!

A77BA328-05D4-4C19-A56A-DBBBDBA2376E.jpeg

CORDEL DO ABC

Tudo fica mais bonito
Quando a gente aprende a ler
E a gente fica sabido
Começando a escrever

O mundo ganha sentido
E a gente começa a ver
Coisas que a gente não via
Se amplia o nosso saber!

A placa na rodovia
O rótulo de algum produto
A gente lê soletrando
Não para nenhum minuto

As letras vão se abraçando
As sílabas vão se formar
Unidas viram palavras
Pra conversar ou narrar

Os encontros das letrinhas
Parecem magia pura
Eis que surge o B-A-BA
Quando começa a mistura

Borracha para apagar
Se a gente errou uma letra
E ficamos ansiosos
Pra escrever de caneta

Escrever é bem gostoso
Desenhar cada letrinha
Bem mais fácil no caderno
Que a página tem muitas linhas

O aprendizado é eterno
Nunca mais a gente esquece
Quanto mais a gente aprende
Muito mais a gente cresce

E a gente se surpreende
Ao ler a primeira história
Os livros, novos amigos
Entram dentro da memória

Aventuras e perigos
As viagens mais brilhantes
Cada livro é passaporte
Para um mundo interessante

Escrevemos nosso nome
E o refrão de uma canção
Palavras viram imagens
Na nossa imaginação

Tem vogal, tem consoante
Cada uma tem um som
Todas juntas no alfabeto
O ABC é muito bom

O futuro nos espera
Demos o primeiro passo
A leitura é ferramenta
Pra conquistar nosso espaço!

 

 

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Novo single! “Mamãe engoliu a lua”

 

Essa música nasceu durante a espera do meu primeiro filho, Jorge. Adoro compor canções, mas tenho criado muito mais agora que estou gestando uma vida! E tenho “parido” muitas canções sobre o universo materno, “Mamãe engoliu a lua” é a primeira delas! Assistam, compartilhem, e espalhem esse afago à todas as mamães e futuras mamães que conhecem!

Pra fazer esse clipe, contei com o trabalho de uma equipe linda! Milla Bigio (tia de Jorge) no Violão, Lara Valença cuidou da fotografia, e gravamos o áudio no Gusdel Estúdio. A locação é o Parque da Jaqueira, aqui em Recife-PE.

Espero que gostem!

Publicado em Música Infantil, vídeos | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

O Romance do Homem da Meia-Noite com a Mulher do Dia – Cordel para Crianças

O Romance do Homem da Meia-Noite com a Mulher do Dia ou O Maior Caso de Amor do Carnaval! Esta história em Cordel, de Mariane Bigio, mistura ficção e realidade, para apresentar personagens emblemáticos do Carnaval Pernambucano aos pequenos. Os Bonecos Gigantes são marca registrada do Carnaval da Cidade de Olinda – PE, e têm no Homem da Meia-Noite seu principal representante. Com as rimas e ludicidade da Literatura de Cordel, as crianças ainda poderão conhecer outros ícones da folia, como os Blocos Eu Acho É Pouco, Pitombeira Dos Quatro Cantos, entre outros blocos, personagens e folguedos do ciclo carnavalesco!

Mariane Bigio (Recife-PE) é Poeta, Cordelista e Contadora de Histórias. Integra o Projeto “Cordel Animado” de contação de cordéis e cantigas para crianças, junto a sua irmã, a musicista Milla Bigio. Esta é mais uma das #históriasartesanais lançada pela poeta. Os estandartes em miniatura foram confeccionados pela autora, e o vídeo foi gravado em casa, com a ajuda de seu marido, Diego Santos…por isso é “artesanal”… e também cheio de afeto e carinho! Divirta-se!
Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário