Cordel Animado – 5 Anos de Trajetória!!!

_MG_8825

Cordel Animado – 5 Anos – Foto por Gustavo Bettini | Cenário e Figurino: Coletivo Eu Passarinho

 

Com licença minha gente!Mariane Bigio
Permitam me apresentar:
Eu sou Mariane Bigio
[sobrenome de além mar]
Nasci pra contar histórias
Inventadas, ou memórias
Da Poesia Popular!

 

 

Também quero destacar
A maior sorte que eu tive
De encontrar uma parceira
É da Música que ela vive
Deus me deu enorme luxo:
Nascemos do mesmo bucho!
E assim a gente convive…

Milla Bigio, não se prive!_MG_8871
Ora, deixe de besteira!
Venha fazer o que sabes
Que você é de primeira
Vou contar sobre o Cordel
Você faz o seu papel
Alegrando a turma inteira!

 

"Era cantado na Feira
na Era Medieval
seu nome vem do varal
onde era exposto em fileira
moedinhas na algibeira
se um Trovador Europeu
contava o que sucedeu
num canto leve e rimado
O Cordel é Animado
Desde o dia em que nasceu!

Chegou nessa terra quente
com a colonização
viveu a transformação
tomou o sotaque da gente
lá no Sertão, de repente
encontrou seu apogeu
aqui se fortaleceu
folhetos pra todo lado
O Cordel é Animado 
Desde o dia em que nasceu!

Casou com a Xilogravura
que estampava suas capas
cruzou do nordeste os mapas
levando a nossa cultura
narrou contos de aventura
falou do Rei, do Plebeu
contando o que aconteceu
deixava o povo informado
O Cordel é Animado
Desde o dia em que nasceu!

Quase que foi extinguido
mas retomou seu lugar
e eu quero valorizar
pra que não seja esquecido
não há nada parecido
o Cordel me comoveu
juntou minha irmã e eu
pra dividir o tablado
Nosso Cordel Animado
Faz cinco anos: nasceu!"

(Texto de Abertura do espetáculo comemorativo do Cordel 
Animado, por Mariane Bigio)
Anúncios
Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Guia poético [em verso e rima] de como se transformar numa heroína !

 

por Mariane Bigio

Caras amigas, e amigos
Hoje venho apresentar
Fatos e feitos históricos
De gente bem singular
Nos dão lições de bravura
São exemplos de figura
Do mais alto patamar

Eu quero homenagear
As mulheres da história
Que nos servem como guia
Pela sua trajetória
Heroínas femininas
Provam que qualquer menina
Pode ser forte e notória

Tiro logo da memória
Uma brava sertaneja
Que foi Maria Bonita
Que viveu sua peleja
Ao lado de Lampião
Do Cangaço, no Sertão
Lembrada onde quer que seja

Uma moça benfazeja
Joana D’arc, a guerreira
Liderou enorme exército
Da França honrou a bandeira
Mas ao cessar a batalha
Sofreu a justiça falha:
Foi queimada na fogueira

Dandara foi prisioneira
Durante a escravidão
Lutou pelo povo negro
Buscando a libertação
Zumbi foi seu companheiro
O Quilombo o seu Terreiro
De Fé e Revolução

Merece nossa atenção
A Rainha, poderosa
Que foi Cleópatra do Egito
Do deserto a mais famosa
Soberana inteligente
Que governou sua gente
De maneira audaciosa

Com uma voz melodiosa
Balangandãs a valer
Carmem Miranda é pra sempre!
Impossível de esquecer!
Se no rádio ela cantava
Quem ouvia, balançava
Sem parar de remexer!

Ainda vale dizer
Sobre a artista persistente
Frida Kahlo, a mexicana
Que até hoje encanta a gente
Por seu legado em Pintura
Por ser uma criatura
De alma livre e irreverente!

Malala pediu somente
Que a deixassem estudar
Que deixassem as meninas
Serem livres pra sonhar
Mas no seu país então
A resposta foi um NÃO
E ela decidiu lutar...

E assim pôde conquistar
O Prêmio Nobel da Paz
A mais jovem ativista
Que até hoje foi capaz
De vencer, por ser tão forte
Ela que enfrentou a morte
E a tirania voraz

Eu não seria capaz
De encerrar essa listagem
De mulheres exemplares
Cheias de fibra e coragem
Elegi representantes
Pra mim significantes
E aqui fica esta mensagem:

Podemos ser personagem
Principal de uma mudança!
Você que é menina hoje
Pode virar liderança
O lugar de uma Mulher
É o lugar que ela quiser
Guarde isso na lembrança!

 

 

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Um Cordel para Bárbara

Recebi um convite lindo: produzir um Cordel narrando brevemente a trajetória de Bárbara de Alencar, Pernambucana, Heroína da Revolução de 1817, avó do escritor José de Alencar. Haja responsa! Este Cordel segue estampado na agenda de 2017, produzida pela Secretaria da Mulher do Recife, lançada no mês de Março. Na capa, Bárbara ilustrada pela maravilhosa Dani Acioli!Foi uma alegria fazer parte dessa bela homenagem! Salve Bárbara de Alencar e todas as nossa heroínas, subestimadas pela história!

#SomosTodasBárbaras

Um Cordel para Bárbara

Por Mariane Bigio

A verve da poesia
Agora quero evocar
Uma mulher de verdade
Hoje é quem vai me inspirar
Uma Heroína real
Lutadora sem igual
Que foi Bárbara de Alencar

Eu quero homenagear
A Bárbara não só na alcunha
Enfrentou a Tirania
E à Monarquia se opunha
Articulou alianças
Foi potente liderança
E à tudo se predispunha

Mas lhe faltou testemunha
E espaço na nossa História
Pois foi mulher de vanguarda
De atitude mui notória
Matriarca Sertaneja
Que viveu sua peleja
Memorável trajetória

Não viveu pra ver a Glória
Do Brasil ser libertado
Do Rei Luso-brasileiro
Mas ficou o seu legado:
Ideais Republicanos
Algo que após tantos anos
Ainda é tão almejado!

Pernambuco é seu estado
Foi aqui que ela nasceu
Lá na cidade de Exu
E um conterrâneo seu
O famoso Gonzagão
A lembrou numa canção
E à memória embeveceu

Lá no Ceará viveu
Esta matrona aguerrida
E levou de Pernambuco
A voz da gente insurgida
Durante a Revolução*
E foi parar na prisão
Numa ocorrência sofrida

Liberdade reprimida
Bárbara então foi condenada
Primeira Presa Política
Cruelmente injustiçada
Mas nunca desanimou
Logo à luta retornou
Bravura a ser copiada!

A guerreira obstinada
Chamou de novo a atenção
Ladeada por seus filhos
Na tal Confederação
Do Equador, mui resistente
A alma da combatente
Sofreu vil mutilação...

Já não foi a reclusão
O mal que se sucedeu
Muitos parentes mortos
Para desespero seu
Um dos filhos em combate
Se livrou do disparate
Ao menos sobreviveu

E destaque recebeu
O José Martiniano
Entrou na vida política
Bárbara em segundo plano
Não foi bem reconhecida
Uma valente escondida
Vítima do mais puro engano

Sua vida agora ufano
Lembro seu neto escritor
Que foi José de Alencar
Com merecido louvor
Por sua literatura
Mas Bárbara não é figura
De papel inferior

Este Cordel com fervor
Quis somente destacar
As proezas da mulher
Que foi Bárbara de Alencar
Saudando outras Heroínas
Expoentes Femininas
Exemplo a nos inspirar!

Unidas vamos gritar
E bradar por igualdade
Na batalha por direitos
Na luta por liberdade
Tal qual a Bárbara de outrora
Sejamos bárbaras agora
Com garra e voracidade!

*Bárbara leva o movimento engendrado na Revolução de 1817 de 
Pernambuco para o Ceará. 
Publicado em Cordel por encomenda, Poemeu - Cordel | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Existencial

#DiaDaPoesia

“As vezes fico perdida

há tanto para viver

que me pego em devaneios

sonhando sem perceber

desejando experiências

além das minhas ciências

buscando o Conhecer

e eu fiz por merecer

esta vida que eu tenho

acredito que meus ganhos

são frutos do meu empenho

nego a fé cega do povo

quem resiste frente ao novo

já não compro nem desdenho

é por demais valiosa

a vida, para ser gasta

com as orações hipócritas

vindas da mente nefasta

de quem só pensa na morte

ou de quem se atém à sorte

a inércia que devasta

e tem gente que se arrasta

sem viver e sem sentir

tem gente que não entende

a lógica do fluir

somos todos natureza

eis aqui toda a pureza

desse nosso existir

não tenho medo de ouvir

ou pensar o perecer

há tanta vida no meio

entre nascer e morrer

somos do todo uma parte

viver é portanto a arte

inevitável de Ser.”
Mariane Bigio

Publicado em Do que me despe, Poemeu - Cordel, Ser | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Manifesto das Meninas

Captura de Tela 2017-03-06 às 21.18.57

Foto Revista Fórum

Neste dia da mulher
Vamos nos manifestar
Pois também é nosso dia
Também queremos lutar
iremos soltar a voz
Juntas não estamos sós
Vamos todas caminhar

Não queremos só brincar
De casinha, de bonecas
queremos as ferramentas
bolas, trator, melecas
queremos vestir azul
e correr de Norte a Sul
soltar piões e petecas

Se eles não lavam cuecas
temos que lavar sozinhas?
Qual é mesmo a diferença
Das cuecas pras calcinhas?
Todos devem ajudar
Lavar louça e enxugar
Não seremos mais bobinhas!

Pilotar só nas cozinhas?
Isso aí irmão, já era!
Tem menina que é atleta
Que é veloz feito uma fera!
Que sabe se defender
E não vai mais se esconder
Quando quiser ser sincera

Queremos ser da galera
E viver com segurança
Com saúde, com lazer
Com os direitos da criança
Até parece clichê
Mas ser igual a você
É nossa grande esperança!

Mariane Bigio

06/03/2017

Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Novo vídeo do Cordel Animado no Youtube!

Para festejar o Carnaval Pernambucano, que é super-ultra-mega cultural, fiz esse vídeo pra gente se divertir com Adivinhas em Cordel! Aperta o play!

 

Até o Site Catraquinha fez uma matéria sobre o canal do Cordel Animado no Youtube!
Fiquei super feliz!

captura-de-tela-2017-02-23-as-11-52-08

Publicado em Clipping, Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Adivinhas em Cordel – Carnaval em Pernambuco!

_mg_5869

Cordel Animado em Clima de Carnaval – por Gustavo Bettini

Adivinhas de Carnaval

Vou fazer uma adivinha
Quem é bom na brincadeira?
Quem conhece o carnaval
Vai acertar de primeira
Seja adulto ou criança
Quem gostar dessa festança
dá resposta bem certeira!

No sábado de Zé Pereira
Nesta cidade encantada
Ele aparece na ponte
A crista bem empinada
Tem bico e bastante pena
Quem é esse, nesta cena?
É o Galo da Madrugada!

 A Calunga levantada
O tambor faz tu-tu-tu
O Cortejo é bem bonito
Danço eu e dança tu!
Tem rei e também rainha
Quem responde essa adivinha?
Falo do… Maracatu!

E tem o Maracatu
Que vem do Canavial
Caboclos vêm chacoalhando
flor na boca contra o mal
Com a gola enfeitada
Pra dançar uma sambada
no Maracatu Rural!

Com adornos sem igual
penachos coloridinhos!
Vêm com as flechas no ar
Vigorosos indiozinhos
Numa dança tão bonita
Ao som da flauta que apita
Quem são eles? Caboclinhos!

Ficamos pequenininhos
Junto do enorme dançante
O Homem da Meia-Noite
É o maior representante
Em Olinda desfilando…
De quem eu estou falando?
É do Boneco Gigante!

Um mascarado brincante
Vem causando um buruçu
Ele vem lá de bezerros
Gosta de comer angu
Com a roupa colorida
A peruca divertida
Quem é ele? O Papangu!

Quando o céu está azul
E o calor está ardendo
a gente vê um bichão
e a meninada batendo
e quem não é pirangueiro
se tiver algum dinheiro
A La Ursa está querendo!

A ladeira vem descendo
Sem se importar com o relevo
Segurando a sombrinha
Dançar igual não me atrevo!
Tesoura e até parafuso
Quem dança assim tão confuso?
É o passista de frevo!

 

por Mariane Bigio*

*se for usar esse texto, por favor, cite a fonte e a autoria!

todos os direitos reservados
Publicado em Poemeu - Cordel, Poemeu - Infantil | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários